quinta-feira, 31 de maio de 2012

PROJETO BÁSICO - A cultura como sinônimo de cidadania


PROJETO BÁSICO
1. Data: 31/05/2012

2. Proponente: Centro de Referência de Assistência Social -      CRAS

3. Título do Projeto

A cultura como sinônimo de cidadania.

4. Previsão do Período de Execução

Início: maio de 2012
Termino: novembro de 2012

5. Considerações Gerais

O CRAS tem por função ofertar, de forma exclusiva e obrigatória, o Programa de Atenção Integral à Família – PAIF. A Equipe de Referência do CRAS é interdisciplinar e os perfis devem convergir de forma a favorecer o desenvolvimento de suas funções. O trabalho social com a s famílias depende de um investimento e uma predisposição de profissionais de diferentes saberes para trabalharem coletivamente, com objetivo comum de apoiar e contribuir para a superação das situações de vulnerabilidade e fortalecer as potencialidades das famílias beneficiárias dos serviços ofertados no CRAS.

O CRAS - Centro de Referência de Assistência Social, de base municipal, integrante do SUAS (Sistema Único da Assistência Social), é um espaço público multidisciplinar e descentralizado, nos quais se desenvolvem ações de apoio às famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, privação e/ou fragilização de vínculos afetivos, como discriminações etárias, étnicas, de gênero ou por deficiências, entre outras. Com vistas ao protagonismo, à autonomia e à emancipação destas pessoas são disponibilizados serviços, programas e benefícios de proteção social básica, na garantia dos seus direitos de cidadania por meio de palestras, grupos de convivência, oficinas ocupacionais e profissionalizantes, com ênfase no direito à convivência familiar e comunitária; Serviços de acompanhamento social às famílias; Proteção social pró-ativa (visita as famílias em situação de risco social); Acolhida para recepção, escuta, orientação, referência e encaminhamentos a outros programas da rede de proteção social municipal.

O CRAS de Baixo Guandu, está localizado em uma chácara (Espaço Novo) no Bairro Vila Kennedy, Baixo Guandu/ES, a área é de propriedade da municipalidade, foi implantado no ano de 2008 e, desde então, vem atuando conforme as normas técnicas do SUAS. Atualmente, 1045 famílias estão referenciadas e recebem acompanhamento por profissionais de diversas áreas de atuação. A tendência é que este número aumente no momento que o novo CRAS, que está sendo construído, poderá atender uma demanda que cresce dias após dia, abrangendo desta forma áreas mais vulneráveis.


6. Justificativa

Em um mundo formado por sociedades que usam o preconceito como instrumento para demarcar diferenças sociais e ignorar saberes e culturas é necessário traçar estratégias para resgatar valores e valorizar a identidade, principalmente da população afro descendente. O preconceito racial traz a desvalorização do individuo, não só aos negros/as, mas a toda a sociedade. Além de reprovável, dificulta a superação de graves e discrepantes desigualdades sociais. O município de Baixo Guandu possui uma população estimada em 29.081 pessoas, conforme censo/IBGE 2010, deste total, 1.970 pessoas responderam ser de raça ou cor negra e 15.148 pessoas de cor parda, considerando que a cor parda é devido a mestiçagem, ou seja, mistura de raças/etnias diferentes, não somente na mistura de cor de pele, mas também de traços culturais e, a identidade nacional brasileira é mestiça, conclui-se que a população do município de Baixo Guandu é predominantemente constituída de pessoas pardas e negras. Ainda, conforme IBGE, 2010, a incidência da pobreza no município é de 43,60% da população, os dados comprovam a situação de muitas famílias que encontram-se em situação de vulnerabilidade social.  A escolha do espaço para sistematizar a ação baseou-se nos dados elencados em um Relatório lançado em 2005, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), a pesquisa mostra que 64% da população de baixa renda no Brasil é composta por pessoas negras e aproximadamente 25 milhões de indivíduos, e o Centro de Referência de Assistência Social  - CRAS é o espaço estatal que atua como porta de entrada aos serviços assistenciais e é responsável pelo acompanhamento das famílias que encontram-se em vulnerabilidade e risco social.

7. Objetivo Geral

Desenvolver atividades que despertem a autoestima e que estimulem a valorização e o respeito à identidade da população afrodescendente, residentes no município de Baixo Guandu e inseridas no Centro de Referência de Assistência Social – CRAS.


8. Objetivos Específicos


  • Valorizar a cultura negra e seus afro-descendentes e afro-brasileiros, na sociedade;
  • Redescobrir a cultura negra, embranquecida pelo tempo e por imposições;
  • Desmitificar o preconceito aos costumes religiosos procedidos da cultura africana;
  • Incitar diálogos provocantes, por meio das rodas de conversa, para um posicionamento mais crítico frente à realidade social em que vivemos;
  • Comemorar o dia 20 de novembro, Dia da Consciência negra, incentivando o pertencimento e refletindo sobre a contribuição da cultura negra na construção da identidade do país.



9. Metas

Alcançar todos os participantes dos grupos de convivência e das oficinas socioeducativas, atualmente, realizadas no CRAS.

Apropriação de diversos saberes, além da conscientização sobre temas relevantes como legislação, tolerância, direitos e deveres etc.;

Maio/2012 – planejamento das ações;
Junho/2012 – palestra de apresentação do plano aos usuários do Cras e convite a participação;
Junho – inicio das oficinas e do grupo de convivência – encontro quinzenal com duração de 02 horas;
Julho – oficina com temas relacionados às festas populares e a correlação com a contribuição da população negra na formação da identidade da nação brasileira;
Agosto – atividades voltadas a valorização da mulher negra, organização de dia da beleza negra, mini cursos, palestras e roda de conversa com diversos temas relacionados ao plano;
Setembro – oferta de mini-curso de culinária e beleza,
Outubro – organização da exposição e continuidade das atividades;
20 de novembro/2012 – exposição dos trabalhos com manifestações alusivas ao dia da Consciência Negra;
Novembro/2012 - encerramento do projeto e avaliação das ações, com toda equipe do CRAS e a população usuária do serviço.


10. Público Alvo

Famílias em acompanhamento e inseridas nos grupos de convivência e  nas oficinas socioeducativas do Centro de Referência de Assistência – CRAS do município de Baixo Guandu.


11. Estratégias de Ação


  • Organizar grupo de convivência específico que discuta temas relacionados à cidadania, preconceito, igualdade, saberes e culturas e incite a produção de artes relacionadas aos temas, tais como poesias, pintura e músicas;
  • Estimular debates e rodas de conversa sobre o tema nas diversas atividades existentes no CRAS: nas oficinas socioeducativas, nos cursos de inclusão produtiva, nos grupos de convivência e no PROJOVEM;
  • Oferecer oficinas e mini-cursos com atividades que valorizem a cultura afro através da culinária, beleza, danças;
  • Divulgar as produções em espaço aberto ao público como forma de publicizar  as ideias trabalhadas nas diversas atividades buscando assim, promover o respeito como prática essencial e eficaz para mudar as pessoas e, conseqüentemente, a sociedade. O evento acontecerá no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.



12. Prazo


O prazo para efetivação do projeto é de 06 meses.



13. Acompanhamento e Avaliação


O acompanhamento e avaliação serão realizados pela Equipe técnica do CRAS e os (as) usuários (os) do serviço que participarão do projeto.

A avaliação também será realizada pela equipe do CRAS, objetivando rever, sempre que necessário o que foi planejado, o que está sendo executado, de modo que o que não esteja causando o resultado pretendido, seja adequado à realidade.


Baixo Guandu (ES), 31 de Maio de 2012.


A cultura, portanto, vai além de um sistema de costumes; é objeto de intervenção humana, que faz da vida uma obra de arte, inventável, legível, avaliável, interpretável.  (SECAD/MEC, Curso GDE extensão, p.4)











Nenhum comentário:

Postar um comentário